Lencol Termico Curitiba | Sono Bom

Parcelamento

Parcelamos em até 3x

WhatsApp

Fale conosco

logo_sono

Lençol térmico: qual a maneira segura de usar?

Quando o clima lá fora esfria e a cama não aquece por nada, parece convidativo comprar um lençol térmico e deixar o sono mais quentinho. Embora muita gente encare o item como um acessório, ele é um aparelho ligado à energia e, assim como uma torradeira ou um chuveiro elétrico, por exemplo, precisa de atenção na hora de usar e guardar.

O lençol térmico funciona da seguinte forma: entre uma camada e outra de tecido, uma rede de condutores é embutida. São filetes de metal por onde passa uma corrente elétrica que aquece o material. A ideia de dormir sobre condutores não é agradável para todo mundo. O professor Ricardo Scher, 40 anos, tomou um susto com o equipamento. Ligou o lençol na tomada e foi tomar banho para que, nesse meio tempo, a cama estivesse em uma temperatura mais agradável. A regra da casa era nunca dormir com o lençol ligado. Scher só não cuidou uma coisa: desligava enquanto já estava deitado. Foi assim que tomou um leve choque e descobriu que o tecido havia rasgado, expondo um dos filetes.

– Foi um pequeno susto. Ainda bem que vi rápido – contou.

Seguir três regras básicas pode ajudar: comprar equipamentos que levam o selo do Inmetro, não dormir com o lençol ligado à tomada e nunca dobrar o aparelho. Quem sugere tomar esses cuidados é a engenheira elétrica Belkys Bittencourt. A sorte de Scher, segundo a especialista, é que a potência do lençol é baixa.

– Tudo é uma questão de qualidade. O selo do Inmetro é garantia de que o equipamento é bom e que testes foram feitos para certificar a segurança – atesta a coordenadora do curso de Engenharia Elétrica do UniRitter.

As dúvidas sobre o uso correto do lençol térmico são diversas. ZH ouviu especialistas e responde algumas questões.

1. Qual a maneira correta de guardar o equipamento?

Faz quatro invernos que o lençol térmico passou a ser usado pela auxiliar administrativa Joice Dornelles, 55 anos. Antes de comprar o aparelho, ela não só procurou informações sobre como usar com segurança como segue a risca cada sugestão. Por isso, o sono tem sido tranquilo e aquecido desde então.

– Nunca dobro, guardo ele enrolado. Também desligo antes de deitar, mas confesso que já dormi com o lençol ligado.

Mas por que não dobrar? São dois os motivos que levam João Olegário, coordenador do curso de Engenharia Elétrica da Unisinos, a chamar atenção para isso. Quando estendido na cama, a rede de fios está na posição correta para fazer a corrente elétrica passar. Se o aparelho estiver dobrado, um filete pode grudar no outro e fazer o aparelho queimar ou o tecido rasgar. A outra razão é que os fios são finos e sensíveis. Por isso, dobrado a tendência de que quebrem é maior.

2. O lençol pode ser colocado em cama de crianças?

Para Olegário, se a criança corre o risco de ainda molhar a cama, o lençol térmico não é indicado. Isso porque o xixi pode passar o tecido e molhar os filetes elétricos, fazendo com que a rede entre em colapso. Além de queimar o aparelho, o risco de choque é grande. Então, as crianças têm de dormir na cama fria? A resposta é não, segundo Belkys. E aí entra a história do selo do Inmetro. Se o produto tem, então testes com o uso de água foram feitos e, provavelmente, o tecido é impermeável. Na dúvida, peça para olhar o manual antes de comprar e prefira aqueles que não deixam a água passar.

– As resistências que ficam dentro do aparelho devem ser encapsuladas e o tecido também deve proteger. Não fosse isso, até o suar seria perigoso – explica a engenheira.

A dica é: coloque o lençol sobre o colchão e, então, um lençol comum por cima. O certo é não usar materiais sintéticos, que podem estragar com o calor.

3. Dormir com o lençol térmico ligado, pode?

Segundo Jeferson Ecco, comandante dos Bombeiros em Porto Alegre, a maioria dos casos envolvendo lençol térmico ocorrem quando alguém deixa a tomada do equipamento ligado e sai:

– Se o aparelho é antigo, daqueles que não desligam sozinho, pode dar um curto-circuito.

Aparelhos novos, em geral, são mais seguros. É preciso ficar atento ao que diz o manual e conversar bastante com o vendedor, para tirar todas as dúvidas. Há equipamentos, por exemplo, que param de aquecer quando chegam à temperatura máxima. Há outros com um dispositivo que permite desligar sem ter de sair da cama e tirar o lençol da tomada. E existem aqueles com a função timer, em que o usuário pode programar o tempo de aquecimento. Tanto Olegário quanto Belkys concordam que, tendo o selo de garantia, o lençol é seguro também nesse ponto.

Outra regra muito importante: o térmico nunca pode ser usado para envolver alguém. Ele deve ser colocado diretamente sobre o colchão. Colocar muitos cobertores sobre ele também não é indicado, pois o lençol pode superaquecer e estragar.

4. Como limpar o lençol térmico?

É preciso seguir as instruções contidas no manual. Mas uma coisa é certa: o equipamento é elétrico, portanto, não deve ser lavado com água.

– Se um lençol for colocado por cima, certamente o térmico não vai ter resquícios. Um pano com um pouco de álcool, quando o inverno acabar, pode ser passado. Depois, basta enrolar, cuidando para não amassar os filetes – explica Belkys.

Fonte: Gauchazh

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

um × 4 =

×